Estudos Bíblicos

O Sacerdócio Eterno

O Sacerdócio Eterno
Wilson Lemos
Escrito por Wilson Lemos

“Para que a minha aliança continue com Levi, diz o Senhor dos Exércitos. Minha aliança com êle foi de vida e de paz, ambas lhe dei eu para que temesse; com efeito ele me temeu, e tremeu por causa do meu nome. A verdadeira instrução esteve na sua boca, e a injustiça não se achou nos seus lábios: andou comigo em paz e em retidão, e da iniqüidade apartou a muitos.” Malaquias 2:4-6

 Israel foi escolhido por Deus para ser uma nação de sacerdotes, o instrumento pelo qual o mundo receberia conhecimento e bênçãos divinas. Escolheu Deus uma tribo que se devotaria exclu­sivamente ao “ministério” das leis. Levi era a tribo escolhida para estabelecer um sacerdócio eterno.

O Sacerdócio Atual

“Vós porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.” I Pedro 2:9

 Sob a nova aliança, todo o povo de Deus é sacerdócio real, tendo os seguintes privilégios: Primeiro, acesso direto para Deus; segundo, o dever de interceder pelos outros e finalmente servir de instrumento de bênçãos para os que precisam de ter contato com Deus. São estes os direitos de todos os crentes, participantes do sacerdócio real da nova aliança.

Por fraqueza ou ignorância, poucos são os crentes que são instrumentos de bênçãos para o mundo; são impotentes em exercer a função sacerdotal de transmitir a graça de Deus ao povo.

Embora seja isso estado triste dos crentes atuais, Deus ainda convida os redimidos a oferecer suas vidas ao ministério de reconciliação. O ministério Levítico era, “uma aliança de vida e de paz.” Este é o ministério que Deus oferece a quem deseje servi-lo como membro ativo do Seu corpo.

Podemos transmitir a nova vida de Jesus Cristo aos outros através do nosso testemunho, e desta maneira seremos instrumentos da Sua paz para os que vivem na intranquilidade de pecado.

Este ministério de representar Deus ao homem e representar o homem a Deus não é vocação exclusiva dos clérigos: todos os crentes são sacerdotes; todos temos o dever de testemunhar de Cristo; todos temos o privilégio de repartir com os mortos espirituais, a nova vida que Deus nos dá.

Não Abuse Desta Chamada

Desde os primeiros tempos os sacerdotes têm abusado a sua vocação, para buscar o suprimento das suas propiás; necessidades antes de servir a Deus. Em os dias da nova aliança esta tentação de buscar alegria pessoal através das bênçãos de Deus, em vez de ser um instrumento de vida e paz, continua a ser uma mancha no sacerdócio.

O mundo carece de pessoas que podem pensar, falar e agir em, o poder do Espírito Santo, repre­sentando a verdade perante uma sociedade compro­metida com mentira, imoralidade e violência.

Parte deste ministério eterno do sacerdócio é interceder pelo povo: o trabalho de oração. O sacer­dote de outrora mantinha aceso o insenso e orava constantemente para que o povo não fosse des­truído por causa dos seus pecados. Deus procura pessoas que sabem amar, trabalhar e orar e crer em prol dos que nada sabem a respeito da Sua graça. Este é um ministério ingrato, despercebido, silencioso.

O sacerdote atual não é quem se apresenta ao povo com vestimentas coloridas, realizando cerimônias religiosas, e sendo honrado com beija-mão. A nova aliança constituiu um novo sacerdó­cio, não se corrompeu com tradições e orgulho humano, coisas que nada tem a ver com o trabalho da obra de Deus pela nova aliança.

O Novo Sacerdote

Quando na tarde da crucificação, o véu do templo foi rasgado de cima para baixo, abrindo o caminho direto para que o povo entrasse na presença do Onipotente, a vocação do sacerdote se transformou para jamais voltar a ser propriedade de uma tribo, ou de uma classe de clérigos, ou de um grupo de privilegiados!.

A única vez que o Novo Testamento fala a respeito do sacerdote é em termos coletivos, e nunca a respeito de um homem. Os dons ministeriais de apóstolo, profeta, evangelista, pastor e mestre não têm no meio o “sacerdote” pela simples, razão de que TODOS OS CRENTES EM CRISTO JESUS têm esta vocação.

Somos sacerdotes, todos nós que recebemos o perdão dos nossos pecados pela graça de Deus e através da nossa fé em Cristo Jesus! O que nos falta para cumprir este ofício é o fogo de amor Divino que consome os desejos egoístas para nos transformar em pessoas dedicadas a servir a Deus em oração, e servir o mundo com o nosso testemunho da graça salvadora de Deus.

Devemos aceitar a glória da nova aliança que é ser parte do sacerdócio eterno que traz para o pecador a mensagem de salvação eterna. 

Sobre o autor

Wilson Lemos

Wilson Lemos

Meu nome e Wilson lemos,
sou evangelista formado em bacharel em teologia pelo instituto de teologia
SETAD.

Sou casado e tenho por missão ajudar você a crescer espiritualmente em conhecimento.

Deixe um comentário