Estudos Bíblicos

Inclinando-se Para a Sabedoria Natural 

Inclinando-se Para a Sabedoria Natural 
Wilson Lemos
Escrito por Wilson Lemos

 

Inclinando-se para a sabedoria natural

Aqui nos capítulos 1 e 2 especialmente, você vê que a carnalidade é uma inclinação para aquilo que é natural, sendo governada pelo que é natural, aquilo que é de valor segundo a própria estimativa natural do homem. Esses coríntios evidentemente tinham uma grande admiração pela sabedoria humana.

Eles estavam em um centro da sabedoria humana, e a vida nacional deles era muito marcada por esta admiração de homens. Eles estavam naturalmente muito ocupados em buscas filosóficas e especulações, de modo que isto era parte da própria natureza deles.

Era peculiar aos coríntios estar sempre se inclinando na direção da superioridade da sabedoria humana, e os cristãos de Corinto estavam evidentemente cedendo a esse tipo de coisa.

Nós ainda somos grandemente influenciados pela força, pelo poder da sabedoria humana – e, naturalmente, isto carrega poder consigo! Para os coríntios, conhecimento era poder. Esta era a filosofia de vida deles. Quanto mais conhecimento humano você possui, mais você alcança uma posição de ascendência nesta vida.

É algo que coloca você numa posição de vantagem. O conhecimento humano é uma base de vantagem real para o sucesso neste mundo.

O apóstolo dá alguns golpes bastante duros nessa coisa natural, e ao mesmo tempo carnal. É algo natural, porém, quando entra na vida de um crente, ela é uma coisa carnal.

O carnal é algo mais real do que o natural. Nós somos aquilo que somos por natureza, mas quando você começa a adotar aquilo que somos por natureza no campo daquilo que somos por graça, e faz algo de natural no terreno na graça, então você se torna carnal: e isto é mal.

Assim, esses dois capítulos estão amplamente ocupados com um tremendo descortinar da absoluta tolice daquilo que esses crentes estavam glorificando, e a absoluta fraqueza daquilo, absolutamente. Conhecimento? Poder? Obter vantagem neste mundo? Muito bem! O mundo em sua sabedoria, e na sabedoria que ele chama de seu poder, crucificou o Senhor da glória. O que você pensa disso? Eles fizeram isto cegamente. Isto é ignorância!

Não vamos seguir esta linha. Nós a indicamos porque ela nos mostra um estado de mente. Era a apreciação de valores de acordo com os padrões naturais e mundanos, e eles foram influenciados por isto, e isto para eles foi carnalidade, e, portanto, imaturidade. Foi um impedimento ao crescimento espiritual deles.

Agora, à exceção da coisa em si, o princípio é este, que uma inclinação para o que é natural, e, assim se inclinando para aquilo, fazendo dele um fator em nossas vidas como filhos de Deus, é uma marca da infância espiritual, infantilidade, imaturidade; porém, além disso, é um impedimento real para tudo mais.

Você pode dizer que não é necessário enfatizar isto entre o povo de Deus hoje, mas eu não estou certo disso. Você sabe, tão bem quanto eu, que isto é uma das faltas do coração humano em princípio.

Podemos estar perfeitamente convencidos que os coríntios estavam todos errados, e que Paulo estava perfeitamente correto, que foi uma completa tolice para este mundo sábio crucificar o Senhor Jesus, uma ideia completamente falsa de conhecimento, de força: bem, podemos estar bastante convencidos disto, e pode ser que não caiamos completamente desta maneira, porém, em princípio isto é encontrado em todos nós.

Há uma tremenda tentativa de se conquistar um caminho para o Evangelho, para Cristo, para a vida cristã por meio de ser até mesmo como o mundo em alguma maneira. Um homem jovem, por exemplo, pensa que se ele tiver algum treino esportivo, e suas realizações no mundo esportivo forem conhecidas, que ele pode usar isto como vantagem para ganhar pessoas para Cristo.

Assim ele age, e  ele assim o faz para ganhar o respeito, a estima, a atenção das pessoas, e, de certa forma, ele está o tempo todo indo para o campo deles, pensando que irá ganhar convertidos desta forma.

É esta mesma coisa em princípio. Se os homens puderem ser vencidos apenas ao longo desta linha, não vale apenas ganhá-los; você não irá conseguir a coisa certa. O único terreno sobre o qual um homem pode ser realmente salvo é sobre o terreno da necessidade do seu próprio coração, e reconhecida por ele, que ele virá a Cristo como uma questão de vida e de morte.

Se ele tiver que ser ganho por meio de você colocar alguma coisa que faça um apelo a ele em seu próprio terreno, haverá uma permanente fraqueza em sua vida cristã. Sejamos cuidadosos no sentido de que até mesmo em nossa impaciência não façamos nenhuma concessão, não entremos no terreno natural, o que para nós seria pura carnalidade.

Esta é a experiência dos coríntios; não vão além da infância, os padrões dos homens, o valor mundano das coisas; sabedoria, e poder, e coisas semelhantes.Esta foi a primeira coisa em toda esta questão de espiritualidade.

Espiritualidade não tem nada a ver com isto. O que Paulo realmente quer dizer? O que ele diz, em efeito? Ele diz: Afinal de contas, vocês podem ir aos homens, com toda a sabedoria mundana de vocês, e tentar ganhá-los para Cristo, porém, o homem natural não pode compreender as coisas do espírito de Deus; ele trabalha sob uma proibição absoluta.

Antes de o homem poder entender as coisas do Espírito de Deus, ele tem que nascer de novo, e ser um homem espiritual bem no início de sua nova vida.

Ele deve possuir algo que nenhum homem fora de Cristo possui. Você está numa posição sem esperança caso tente entrar em seu terreno: ‘nós recebemos não o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus; para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus.’ (1 Co 2.12). Esses coríntios tinham o espírito do mundo, e estavam tentando ser cristãos com o espírito do mundo; por isso eles eram limitados em sua compreensão, em seu entendimento, e permaneceram como bebês que jamais tinham chegado a qualquer tipo de conhecimento pessoal. Tudo o que tinham era aquilo que lhes havia sido dito.

Sobre o autor

Wilson Lemos

Wilson Lemos

Meu nome e Wilson lemos,
sou evangelista formado em bacharel em teologia pelo instituto de teologia
SETAD.

Sou casado e tenho por missão ajudar você a crescer espiritualmente em conhecimento.

Deixe um comentário