Estudos Bíblicos

Enchendo–se do Espírito

Enchendo–se do Espírito
Wilson Lemos
Escrito por Wilson Lemos

“Batismo com o Espírito Santo” não é a mesma coisa que ser “cheio do Espírito Santo”. Há duas palavras diferentes, no novo testamento grego que são traduzidas para o português da mesma forma, porém descrevem experiências distintas.

Uma é pimpleimi que aparece em Lucas 1:15 – João Batista; Lucas 1:41 – Isabel; Lucas 1:67-68 – Zacarias; Atos 2:3,4 – Pentecostes; Atos 4:8 – Pedro; Atos 4:31 – os discípulos; Atos 9:17 – Paulo; Atos 13:9-11 – Paulo novamente. Essa palavra, pelo contexto em que é usada, dá a entender um enchimento momentâneo para cumprir uma determinada obra. Dá a entender que antes não estava cheio. Tem mais haver com o batismo com o Espírito Santo que nos dá poder.

A outra palavra é pleiros que aparece nos textos de Lucas 4:1 – Jesus; Atos 6:3 – os diáconos; Atos 7:55 – Estevão; Atos 11:24 – Barnabé; Efésios 5:18 – a ordem para se encher do Espírito. Esta palavra significa “ser cheio”, mas não como uma experiência do momento, e sim como uma continuidade. Não está relacionada com a obra e sim com a vida. Portanto queremos tratar dessa experiência subjetiva de encher-se com o Espírito Santo. Vamos ler o texto que melhor esclarece sobre o assunto:

E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós em salmos, hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração, sempre dando graças por tudo a Deus, o Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo. Efésios 5:18-21

Esse texto diz como nos enchemos do Espírito. Vamos ver as maneiras listadas nestes versículos de Efésios.

Falando entre vós

A primeira coisa que devemos saber é que isoladamente não conseguimos ir muito longe. Veja que o texto diz falando entre vós e não sozinho. Falar como? Quando nos encontramos temos que estar com o nosso coração desejoso de salmodiar, ou seja, orar de maneira aberta e inspirada no amor a Deus.

Os cânticos não são simplesmente música e sim algo que venha do profundo de nosso espírito. Não podemos deixar passar um irmão perto de nós e perder a oportunidade de salmodiar, profetizar, abençoar e orar pelo irmão.

Temos que nos livrar de toda frieza para que possamos experimentar essa verdade na igreja hoje.

Para isso precisamos ter uma vida de constante oração, meditação e contemplação do Senhor. Salmodiar aqui não implica em nada da forma moderna em que o cântico está sendo tratado, hoje em dia é um tremendo de um comércio, lucro e ganho, e os lançamentos em shows “evangélicos” então? São verdadeiros espetáculos de orgulho, arrogância e falsa espiritualidade.

Obviamente não estamos generalizando, e nem é nossa intenção criticar pessoas, mas condenar atitudes que afastam os crentes da simplicidade do Evangelho Original.

Sempre dando graças a Deus por tudo.

Devemos manter uma atitude de louvor e gratidão por toda e qualquer coisa ao nosso redor. Devemos aceitar as determinações de Deus para a nossa vida sem murmurações ou queixas. Esse processo redunda em um tremendo quebrantamento de nosso ego com o fim de liberar a Vida Divina em nós, produzindo um verdadeiro enchimento de dentro para fora.

Esse é o aspecto subjetivo da cruz, diário e constante. É que costumamos chamar de desfrutar dos benefícios da Justificação.

Sujeitando-vos uns aos outros

Quando nos esvaziamos de nossas defesas e orgulho Deus pode, então, encher-nos com o seu Espírito. A sujeição ao Corpo de Cristo quebra o orgulho e a auto-suficiência de tal maneira que nos deixa prontos para sermos cheios do Senhor.

Portanto quando somos cheios do Espírito podemos, com maior tranqüilidade sabermos que estamos descansando nEle e que assim andamos no Espírito. E já sabemos qual é o fruto de tudo isso.

Digo, porém: Andai pelo Espírito, e não haveis de cumprir a cobiça da carne. Porque a carne luta contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes se opõem um ao outro, para que não façais o que quereis.

Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.

Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão, o domínio próprio; contra estas coisas não há lei.

E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se nos vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito. Gálatas 5:16-18; 22-25.

Sobre o autor

Wilson Lemos

Wilson Lemos

Meu nome e Wilson lemos,
sou evangelista formado em bacharel em teologia pelo instituto de teologia
SETAD.

Sou casado e tenho por missão ajudar você a crescer espiritualmente em conhecimento.

Deixe um comentário