Estudos Bíblicos

As mulheres na redenção

As mulheres na redenção
Wilson Lemos
Escrito por Wilson Lemos

As mulheres na redenção

O objetivo desse capítulo é ajudar as mulheres a achar seu lugar certo na obra de Deus, de modo que sejam ativas nos ministérios da conquista de almas para a Sua glória.

“E acontecerá depois que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos terão sonhos, e vossos jovens terão visões; até sobre os servos e sobre as servas derramarei o meu Espírito naqueles dias… E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo” (Joel 2.28-32).

Voltemos para o princípio do tempo e vejamos a criação da mulher. “Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Gn 1.27).”Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só: far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea” (Gn 2.18).É interessante notar que Deus disse ao homem, logo no começo: “Não é bom que você fique solteiro”.

Segundo parece, nunca foi Seu desígnio que o homem vivesse sozinho. Desde a aurora da História da Humanidade, o desígnio de Deus para o homem incluía uma mulher ao lado deste; para compartilhar um com o outro, para trabalharem e viverem juntos, para se amarem e se divertirem juntos, lado a lado – uma só unidade sujeita somente a Deus.

Trata-se do companheirismo. Subentende a cooperação, o trabalho lado a lado, adorar e orar juntos, ser-‘ vir juntos, ministrar juntos, ganhar almas juntos.”Far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea”.

Que os homens cristãos aprendam que suas respectivas esposas são “auxiliadoras idôneas” na vida – não suas escravas ou servas, mas suas parceiras,  compartilhadoras, companheiras.

“Então o SENHOR Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu: tomou uma das suas’51 costelas, e fechou o lugar com carne. E a costela que” o SENHOR Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher, e lha trouxe.

E disse o homem: Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne” (v. 21-22). É assim que todo homem deve sentir-se a respeito da sua esposa; deve amá-la como sua própria carne (Ef 5.28,29).

“E disse o homem… chamar-se-á Varoa, porquanto do varão foi tomada. Por isso, deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tomando-se os dois uma só carne” (Gn 2:23,24).

É essa a vontade de Deus para o homem e a mulher! É um companheirismo glorioso e amoroso. O casamento é o estado feliz de um homem e de uma mulher que juntamente compartilham da vida, com amor. Foi assim o propósito de Deus para o casamento.Adão e Eva estavam contentes. Amavam-se mutuamente. Eram uma só carne.

Mas depois, aquele primeiro homem e aquela primeira mulher desobedeceram a Deus, e o pecado deles trouxe sobre eles a penalidade da lei de Deus.

Foram expulsos do jardim do Éden, porque não poderiam viver na presença de Deus depois de terem pecado. Tornaram-se escravos de Satanás, a quem tinham obedecida Sendo assim, passaram a ter um novo senhor, e foi ai que começaram os problemas.

No coração do homem, e no da mulher, a lascívia começou a tomar o lugar do amor. A concupiscência o mal tomaram o lugar do bem. As paixões foram desencadeadas. E porque o homem tinha uma forma física maior, e músculos mais fortes, o mal no seu coração levou-o a transformar a mulher na sua escrava.

Ao invés de ela ser uma ajudadora idônea, para ele proteger e cuidar dela, ele a reduziu a um objeto físico inferior para a satisfação da sua própria lascívia.

Mas, assim como acontece com todas as más conseqüências do pecado, foi fornecido pela graça de Deus um remédio para esse estado caído da mulher – uma redenção através da qual foi devolvido a ela seu lugar merecido ao lado do homem.

Aquele remédio foi através da morte e do sacrifício de Jesus Cristo, nosso Senhor, que veio para sofrer as conseqüências de todos os nossos pecados – os das mulheres e não somente os dos homens. Ele veio nos resgatar a todos nós, para termos nossa condição original diante de Deus e diante do próximo.

Embora seja verdade que a mulher, Eva, foi a primeira a ceder diante da tentação ao pecado, e depois tentou o marido, não nos esqueçamos que foi uma mulher, Maria o vaso obediente por meio de quem Cristo foi concebido através do Espírito Santo, e através de quem nasceu o Salvador do mundo.

Se, pois, culpamos uma mulher, Eva, pela queda do homem, saudemos uma mulher, Maria, por ser o vaso por meio de quem o homem recebeu o Salvador.Na Bíblia, tanto homens como mulheres seguiam a Cristo. As mulheres eram abençoadas, perdoadas e curadas da mesma maneira que os homens.

Uma mulher que tivera cinco maridos, e que vivia com outro homem (com quem não estava casada), foi abençoada e perdoada de todos os seus pecados. Como comprovação que Jesus nunca continuou contando os pecados dessa mulher contra ela, no próprio dia em que ela foi convertida, ela se tomou uma evangelista dele (Jo 4.28,29,39).

Jesus incluiu as mulheres quando Ele disse a todos os que criam: “Aquele que crê em mim, fará também as obras que eu faço” (João 14.12).Foi uma mulher quem pregou o primeiro sermão sobre a Ressurreição. E ela o pregou aos próprios apóstolos. Assim Jesus ordenara a ela! (João 20.17,18).

Hoje em dia, as mulheres são freqüentemente proibidas de pregar ou ensinar, mas Jesus enviou uma mulher para contar aos Seus discípulos que Ele ressuscitara.Onde estavam aqueles homens corajosos na manhã em que Jesus ressuscitou dentre os mortos?

Uma mulher estava ali!

Segundo parece, os homens ficaram desanimados depois de haver o opróbrio inesperado da crucificação e, de conformidade com João 21.3, voltaram para suas redes de pesca; mas as mulheres foram até ao túmulo! Estavam presentes na manhã em que Cristo ressuscitou dentre os mortos!

O Cristo ressurreto apareceu primeiramente a uma mulher e falou com ela!

É estranho que, hoje em dia, as mulheres são ordenadas a ficarem quietas, e proibidas de pregar ou ensinar o Evangelho.

O fato que Jesus enviou uma mulher para transmitir as primeiras notícias da Sua ressurreição talvez seja um indício de que Sua morte e ressurreição levantou a mulher do seu estado caído, e a restaurou ao lugar legítimo dela no Seu Reino, lado a lado com o marido – igualmente digna de transmitir a mensagem neotestamentária de Cristo para o mundo.

Jesus incluiu especificamente as mulheres quando Ele disse: “recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo”. E com que propósito? Para serem Suas testemunhas. Se as mulheres não eram para ser TESTEMUNHAS ardentes da ressurreição de Cristo-RS, assim como os homens, por que foram especificamente mencionadas no relato?

“Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres” (Atos 1.14).

“Todos ficaram cheios do Espírito Santo” (Atos 2.4) – (juntamente com as mulheres). E com que pro­pósito o Espírito Santo lhes foi dado? “Recebereis po­der™ e sereis minhas testemunhas,” disse Jesus (Atos 1.8). Isto significa pregar, ensinar, demonstrar, realizar milagres, oferecer provas da Sua ressurreição.

Nunca se esqueça: as mulheres estavam presentes no Dia do Pentecostes. As mulheres receberam o Espírito Santo assim como os homens. “Todos ficaram cheios”.

Mas com que propósito?

Será que os homens ficaram cheios do Espírito Santo para saírem e pregaram o evangelho com poder, ao passo que as mulheres foram cheias do mesmo Espírito a fim de poderem manter-se em silêncio?

Não, todos ficaram cheios do Espírito Santo a fim de que Todos pudessem ser produtores de provas da ressurreição!

Quando você entender como as mulheres eram tratadas antes de Cristo vir para restaurá-las à sua posição original e certa ao lado dos homens, você ficará maravilhado porque o Espírito Santo especificou que as mulheres estavam ali com os homens quando o poder de Deus veio sobre Seu povo.

Essa experiência deixou a comunidade eletrizada. Multidões se reuniam para verem esse evento estranho porém maravilhoso. Pessoas dentre todas as nações estavam reunidas em Jerusalém nessa ocasião tão importante. Aquilo que viam, deixava-as atônitas. E acho que uma das coisas que as deixaram chocadas era que as mulheres estavam no meio de tudo.

Por isso, Pedro se levantou para explicar o que estava acontecendo. Ele sabia que se tratava do cumprimento divino de uma profecia notável, que dizia respeito tanto aos homens quanto às mulheres.

Pedro explicou que não estavam bêbados, conforme supunham alguns, mas que se tratava do cumprimento da profecia de Joel: “Derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão” (Atos 2.15-17).

O recado que Pedro transmitiu era, em essência: “Vocês, os judeus, nunca deixaram as mulheres entrarem na ‘Casa de Deus’, e estão estranhando que as mulheres estão aqui conosco, recebendo o mesmo poder que os homens. Mas vocês, os judeus, esqueceram-se de que um dos seus próprios profetas, chamando Joel, disse que assim aconteceria.

“Joel predisse que nos últimos dias, Deus derramaria o Seu Espírito sobre TODA a carne. Nos últimos dias Seus filhos e filhas profetizariam”.Sim, depois de Jesus ter pago os pecados de todo homem e de toda mulher, Ele destituiu todos à sua posição diante de Deus.

As mulheres recuperaram seu lugar no plano de Deus, para serem Seus instrumentos, da mesma maneira que os homens. Essa posição nunca fora restaurada a não ser depois de Jesus ter morrido pelos pecados de todo homem e de toda mulher. No Calvário, a escravidão feminina foi abolida para sempre!

Apesar de terem-se passado quase 2.000 anos desde a ocasião em que Jesus libertou as mulheres, até hoje a tradição eclesiástica freqüentemente proíbe as mulheres de pregarem ou de ensinarem.

Essa restrição baseia-se em algumas poucas observações feitas por Paulo que, conforme demonstraremos no próximo capítulo, estão tão inaplicáveis hoje como seria a exigência imposta sobre todos os membros da igreja no sentido de venderem suas posses porque assim foi feito em Atos 4.34.

Os teólogos não têm enfatizado o fato de que a redenção em Cristo restituiu a mulher ao seu lugar original ao lado do homem. Sendo assim, freqüentemente proíbem as mulheres de falar, de ensinar ou de pregar na igreja.O próximo capítulo ajudará você a entender as circunstâncias em que Paulo fez suas duas declarações a respeito das mulheres, e então você compreenderá por que ele falou assim.

Sobre o autor

Wilson Lemos

Wilson Lemos

Meu nome e Wilson lemos,
sou evangelista formado em bacharel em teologia pelo instituto de teologia
SETAD.

Sou casado e tenho por missão ajudar você a crescer espiritualmente em conhecimento.

Deixe um comentário